A linha de crédito criada pelo International Finance Corporation (IFC), braço do Banco Mundial, já pode ser acessada pelos bancos brasileiros para financiar a construção de prédios verdes com o selo AQUA-HQE, da Fundação Vanzolini. Trata-se de um estímulo do mercado financeiro à sustentabilidade e às metas de ESG (de governança ambiental, social e corporativa) das empresas da cadeia produtiva da construção.

De acordo com Manuel Carlos Reis Martins, coordenador executivo da certificação AQUA-HQE, “o crédito verde será válido para todo o Brasil, por meio do IFC ou bancos brasileiros aderentes. Os bancos brasileiros podem oferecer crédito verde também com recursos próprios, ou de investidores brasileiros, desde que obtenham a certificação. Isso mostra que a sustentabilidade vem ganhando cada vez mais adesão de consumidores e de importantes setores da economia brasileira”, ressalta ele.

Os bancos não informam qual a redução da taxa a ser aplicada. Os percentuais serão definidos para cada projeto. Porém, as instituições financeiras garantem que a economia para o cliente será significativa. “Nesse momento há um crescente interesse dos clientes por empreendimentos verdes, seja pela economia gerada nas contas de água, energia, manutenção e conservação ou pela crescente exigência das pessoas por melhor conforto e saúde nas edificações. E também por causa da maior conscientização ambiental”, frisa Martins.

A certificação de sustentabilidade AQUA-HQE é a mais utilizada no Brasil. O selo referendou no país 749 edifícios no ciclo construção, sendo 457 residenciais e 236 comerciais. No ciclo operação, foram 56 não residenciais. O selo baseia-se em 14 objetivos de desempenho que devem ser atingidos em níveis base, boas práticas e melhores práticas, ultrapassando as exigências que correspondem à regulamentação vigente ou prática corrente, distribuídas equilibradamente em conforto, saúde e baixo impacto ambiental.

Fonte: Da Redação/Assessoria