As lâmpadas tubulares são indicadas para ambientes que necessitam de uma iluminação mais ampla, como escritórios, áreas comerciais e alguns ambientes residenciais, tais como garagens, áreas de lazer e até mesmo cozinhas.

Concrete office interior with blank whiteboard and sunlight. 3D Rendering

O modelo tubular é utilizado há alguns anos, mas com a chegada do LED, o produto ficou mais tecnológico e conta com as vantagens já conhecidas, como a economia de energia e a baixa emissão de calor, benefícios que são fundamentais em alguns lugares para que a temperatura do local não seja alterada.

Confira as dicas da designer de interiores, Claudia Tieko, da Lorenzetti:

Ecoeficiente. A lâmpada tubular LED é uma ótima solução para proporcionar maior eficiência luminosa. Segundo a designer, por contar com formato linear, apresenta fluxo luminoso amplo, podendo em alguns casos reduzir a quantidade de lâmpadas necessárias para iluminar todo o ambiente. E ainda, promove cerca de 80% de economia no consumo de energia.

Praticidade na medida certa. Para escritórios, oficinas e galpões, por exemplo, é necessário optar por uma solução de troca prática, rápida e econômica. A instalação é diretamente na rede elétrica, sem necessidade de reator eletrônico. Além disso, possui alta durabilidade estimada em 25 mil horas. Por não emitir calor, raios ultravioletas e infravermelhos no facho de luz, o modelo garante conforto e evita a descoloração de tecidos, roupas ou obras de arte.

Versatilidade. Apesar de serem mais utilizadas em ambientes comerciais e corporativos, as lâmpadas tubulares LED têm diversas outras aplicações. “Podem ser aplicadas em projetos residenciais com áreas mais amplas, ou auxiliando em espaços que necessitam uma melhor iluminação, como áreas de serviço e garagens cobertas”, finaliza Claudia.

Confira o produto da Lorenzetti:

Lâmpada Tubular Loren LED T8 , da Lorenzetti. Disponível em 60 cm (9W) e 120 cm (18W). Cor: Branca fria (6.000K)

– Modelo é ideal para ambientes corporativos

Lorenzetti

www.lorenzetti.com.br/pt/

Fonte: Da Redação/Assessoria/Lorenzetti