A chegada do Verão geralmente é muito aguardada, em razão de seu clima praiano e de festa. Entretanto, com os dias quentes também surge a temporada de chuvas nos primeiros meses do ano, principalmente nas regiões Sudeste e Sul do país. Já dizia a famosa música de Tom Jobim e Elis Regina “São as águas de março fechando o Verão”, todo ano o ciclo se repete, portanto é preciso estar preparado para os inconvenientes que podem aparecer nas residências nesta época.

Telhados, paredes e muros necessitam de muita atenção durante todo o ano, sobretudo na época de chuvas mais intensas | Projeto de PB Arquitetura e foto de Henrique Ribeiro

Infiltrações, goteiras e umidade nos cômodos figuram entre as principais ocorrências, que podem causar estragos na pintura, nos móveis e no piso. Para contribuir na prevenção desses tipos de problemas, os arquitetos Priscila e Bernardo Tressino, do escritório PB Arquitetura, dão dicas para proteger a casa. Confira!

Simples cuidados na manutenção do lar garantem um Verão tranquilo e sem infiltrações em casa | Projeto de PB Arquitetura e foto de Henrique Ribeiro

Dicas de prevenção:

Primeiramente, vale dizer que sempre é muito importante ter a orientação de um profissional da área, que vai analisar as particularidades de cada residência. Mas, pequenas dicas podem auxiliar no dia a dia, principalmente com relação a coberturas e lajes, que estão mais vulneráveis às chuvas, como:

– Verificar periodicamente, especialmente nos períodos mais chuvosos, como está a manutenção do telhado (se há telhas quebradas ou mal encaixadas).

– Durante a obra, deve-se realizar a inclinação adequada do telhado para cada tipo de telha, pois há diferença de acordo com o material – cerâmica, metal, concreto, etc. Dessa maneira, infiltrações futuras serão evitadas.

– Fazer a limpeza das calhas.

– Definir com cuidado onde será o caimento e o escoamento da água da laje.

– Manter a impermeabilização das lajes em dia para não ocorrer infiltrações.

– Proteger com rufos os muros de divisa com os vizinhos.

– Colocação das pingadeiras nos topos dos muros e no peitoril das janelas e varandas (para que a chuva não escorra pelas paredes, nem manche a pintura)

– Utilizar materiais resistentes à chuva nas paredes externas

As áreas internas sofrem principalmente com infiltrações no teto e paredes, que podem estragar a pintura, os móveis e o piso. Pequenos cuidados podem garantir que a casa se mantenha saudável e bonita | Projeto de PB Arquitetura e fotos de Henrique Ribeiro

Mofo

Um dos grandes vilões de qualquer residência é o mofo. Mesmo se um determinado espaço da casa não tiver infiltrações ou vazamentos visíveis, também é possível que enfrente problemas com umidade. Principalmente em casos de quartos e cozinhas em que bate pouco sol, ou há ventilação insuficiente, existe o risco de paredes, forro, armários e guarda-roupas criarem mofo. Para evitar, é fundamental fazer o tratamento das paredes, forros e lajes com impermeabilizantes, além de deixar as janelas bem abertas para que o ambiente “respire”. Em caso de reformas, busque um projeto que privilegie um ambiente com boa iluminação natural e abundante ventilação.

O inverno é a época mais indicada para os reparos relacionados às chuvas, mas na impossibilidade o ideal é verificar a previsão do tempo e realizar os ajustes em dias sem chuvas | Projeto de PB Arquitetura e foto de Henrique Ribeiro

Reparos

Falando em reformas, o período mais indicado para preparar a casa para o período de chuvas é, exatamente, antes delas chegarem! Portanto, o inverno, costuma ser uma época mais seca e com menor incidência de temporais. “Caso não seja possível aguardar o inverno, em razão de urgências, o ideal é acompanhar a previsão da meteorologia, verificar se haverá alguns dias de tempo mais aberto, para então realizar esses reparos. Recomendamos uma janela de 1 semana pelo menos, pois os impermeabilizantes demoram cercam de 72 horas para secar. Além disso, as superfícies devem estar secas no momento da aplicação”, recomenda Bernardo.

Limpeza e Cuidados

A falta de limpeza ou a manutenção incorreta de calhas e ralos da laje pode gerar entupimentos em suas saídas e, consequentemente, um transbordamento de água, que pode até mesmo invadir a casa.

Impermeabilização

A impermeabilização deve ser realizada logo no início da obra, ou seja, quando a casa estiver sendo construída. Depois disso, também é necessário fazer manutenções, de forma a garantir que a casa esteja protegida. Áreas que tenham contato com água, umidade ou vapor, tais como fachadas, paredes externas e áreas internas molhadas da casa, como banheiros, cozinha e lavanderia necessitam de maiores cuidados.

Áreas molhadas como banheiros e cozinhas também necessitam de impermeabilização para evitar umidade | Projeto de PB Arquitetura e foto de Henrique Ribeiro

“No caso das paredes internas que já estão muito danificadas e marcadas pelas infiltrações, nem sempre só a limpeza e pintura irão resolver. Antes de mais nada, é preciso verificar de onde está vindo o vazamento, para que ele não volte a aparecer. Depois de solucionar a raiz do problema, aí sim é o momento de descascar toda a pintura, o gesso e a massa corrida para pintar tudo novamente. E dependendo da profundidade desse estrago chega até o reboco mesmo. Sempre conte com a ajuda de profissionais, que irão indicar o melhor tipo de impermeabilização de acordo com o caso”, indica Priscila.

PB Arquitetura

Com 10 anos de história, o escritório atua nas áreas de arquitetura e design de interiores, em obras residenciais e corporativas. O foco principal sempre está no cliente por meio de projetos exclusivos e acolhedores somados à técnica. Priscila e Bernardo são formados em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade São Marcos e cada um tem seu repertório profissional em áreas diferentes e complementares.

Priscila tem especialização em Design de Interiores e Paisagismo. Atuou em grandes escritórios de arquitetura e design, em que participou como colaboradora em instalações como a CasaCor SP e Mostra Artefacto por 4 anos, além de ter experiência com projetos de iluminação e paisagismo.

Bernardo possui como base o curso técnico em edificações, passou pela faculdade de engenharia civil, mas decidiu seguir com arquitetura, onde passou pela produção de estruturas de concreto pré-moldado e possui larga experiência em gerenciamento de obras para clientes residenciais, industriais e escritórios.

Fonte: Da Redação/Assessoria