O porta-objetos Timbaúba faz alusão às lavadeiras do século 19, que saíam com suas grandes cestas de roupas sobre a cabeça a caminho dos rios. A escolha do nome também não é aleatória. Ele está ligado à sua inspiração: Timbaúba é uma das maiores árvores da caatinga, cujas cascas e os intrigantes frutos em formato de orelha possuem saponinas – substâncias conhecidas pela formação de espuma e muito empregada na produção de sabões.

Produção e fotografia @studiotertulia

A rocha de toque sedoso com veios cinza-claros, muito utilizada pelos artesãos mineiros e um dos materiais prediletos da designer industrial, dá forma ao porta-objeto. Envolvendo a peça, um disco laminado em freijó.

Multifuncional como a maior parte das criações da artista, Timbaúba é composto por peças de tamanhos variados que se desfragmentam: uma base circular em madeira torneada, encaixada sobre a peça maior, divide e serve de apoio para tampa de pedra. Juntas, formam um delicado e versátil trio, exibindo várias aplicabilidades. Em um momento atua como vaso, em outro, castiçal. Também acolhe pequenos objetos.

Elegante e contemporâneo, Timbaúba pode ser usado em conjunto ou separadamente, como enfeites em diferentes ambientes da casa ou diversos tipos de decoração.

Sobre Ingrid Peixoto

Ingrid Peixoto é uma designer mineira que, inspirada em seu pai e nas memórias de sua criação no chão de fábrica, tem o propósito de despertar a emoção através de produtos funcionais que agregam processos que vão do artesanal ao industrial. Formada pela Universidade FUMEC em 2005 como designer industrial, Ingrid traz traços contemporâneos e linhas sofisticadas no desenvolvimento de mobiliário, luminárias e itens de decoração utilizando os mais diversos materiais.

www.ingridpeixotodesign.com

Clique no link para assistir o vídeo do produto ambientado:

https://www.instagram.com/p/CQjlZ56HU2O/

Fonte: Da Redação/Assessoria