É inegável que as lareiras conferem aos ambientes uma sensação de aconchego, além de tornar os espaços mais charmosos e elegantes. Cada vez mais presentes nos projetos arquitetônicos, elas têm ganhado status de protagonista seja em ambientes internos ou até externos. Porém, a implementação deste item requer muita atenção. Confira abaixo algumas dicas do coordenador da Garantia da Qualidade da Decortiles, Anderson Patrício Eziquiel.

Os porcelanatos apresentam alta resistência ao calor, por isso, podem ser utilizados como revestimento de lareiras à lenha ou das que funcionam à base de álcool ou a gás

Lareira convencional ou ecológica?

O porcelanato é indicado para a composição de lareiras, mas antes de entrar nas especificidades do uso deste revestimento para esta finalidade, precisamos esclarecer de qual tipo de lareira estamos falando, porque se estivermos nos referindo àquelas convencionais, que são as abastecidas com lenha, as especificações são diferentes das indicadas para as lareiras ecológicas, que podem funcionar com álcool ou a gás. Em ambos os casos, o porcelanato pode ser utilizado. Mas, nas convencionais é fundamental que a área interna seja feita com tijolos refratários. Já no caso das lareiras ecológicas, que podem ser embutidas ou não necessariamente, pode-se utilizar o porcelanato à vontade, porque a maneira como as lareiras ecológicas irradiam o calor é diferente da forma que acontece nas lareiras à lenha.

Toda lareira convencional obrigatoriamente precisa de um revestimento isolante térmico, que permite que o fogo fique concentrado naquele espaço onde a lenha queima, garantindo o aquecimento do ambiente de maneira segura e apropriada. Neste caso, então, os porcelanatos devem ser utilizados apenas na parte externa, como revestimento da caixa da lareira, já que a parte interna só pode ser feita com os tijolos refratários. Desta forma, o exterior da lareira pode levar diversos tipos de porcelanatos, independente do acabamento ou do tamanho. É bom lembrar ainda que, a lareira à lenha aumenta a temperatura do ambiente também por condução, porque ela aquece as estruturas das paredes de alvenaria e irradia calor por todo ambiente, o que não acontece com os outros modelos.

No caso das lareiras ecológicas, o material que oferece a combustão para o fogo (etanol ou gás) evapora enquanto queima, ou seja, não é como na lareira à lenha, na qual a madeira permanece queimando na caixa interna. Então, a lareira ecológica aquece o ambiente de uma outra forma, gerando menos calor para o ambiente. “Portanto, se o projeto da lareira seguir as especificações técnicas adequadas, é possível utilizar porcelanato no entorno de toda a lareira ecológica. Só é preciso se atentar às questões de tamanho, para que a altura seja adequada e não queime o que está próximo. Essa observação deve ser levada em consideração tanto em áreas internas, quanto externas, pois atualmente tem-se usado muito lareiras deste tipo nas áreas de lazer das residências”, explica o especialista.

Vantagens da lareira revestida com porcelanato

Além de permitir a personalização total do ambiente, um dos principais benefícios das lareiras em porcelanato é o fato de que este produto apresenta resistência superior a outros revestimentos, como mármores e granitos, por exemplo. “Como o porcelanato tem um processo de fabricação em que ele passar por um processo de queima a 1200º, ele é extremamente resistente, inerte à mancha e à própria fuligem gerada no aquecimento da lareira. É um produto muito mais estável e que permite trabalhar paginações, coordenadas com pisos e parede de uma maneira mais simples do que com pedras naturais” indica Eziquiel.

Lareira convencional

1- Se você pretende ter uma lareira convencional, é preciso assegurar que ela seja estruturalmente resistente, que tenha resistência mecânica e estrutural para suportar todas as movimentações que serão geradas por conta do aquecimento e do esfriamento das placas.
2- É fundamental também escolher uma argamassa colante que tenha capacidade térmica para suportar essas variações. A argamassa precisa ser suficientemente flexível para garantir a aderência das placas à lareira e, ao mesmo tempo, não se degradar com o movimento de aquecimento das placas.

3- A lareira convencional deve ser revestida internamente com tijolos refratários, que garantam a manutenção da maior parte do calor no interior da lareira. Em lareiras à lenha, os porcelanatos só podem ser utilizados na parte externa. Lembrando que só é recomendado o uso de porcelanatos para o revestimento de lareiras, pois outras tipologias de cerâmica não devem ser adotadas para este fim.

Lareira ecológica

Está pensando que o seu projeto combina mais com uma lareira ecológica? Então, confira abaixo algumas dicas que a Ecofireplaces, referência em lareiras ecológicas no Brasil e na América do Sul, disponibiliza para quem quer eficiência no aquecimento, estética adequada e, principalmente, segurança:

1- As lareiras ecológicas aquecem por m², por isso é importante verificar se há uma integração com outros ambientes e calcular a área total para garantir que tudo fique aquecido, caso este seja o objetivo.

2- Um ambiente agradável não pode ficar quente demais e nem frio a ponto de ficar desconfortável. Para que isso não aconteça, leve em consideração os seguintes pontos: a região onde você mora, se é área externa ou interna, se há vento e se há escadas. Estes são itens que interferem e merecem atenção.
3- O projeto deve ter uma base com altura mínima de 10 cm e vão para as chamas de 60 cm, com profundidade mínima de 35 cm, sendo indicado o uso de materiais frios em seu entorno. Caso opte por usar madeira, é importante prever proteção térmica e distanciamento maior. E se a ideia é ter uma TV acima da lareira, as proteções terão que ser duplas.

4- Para o uso de lareiras nas áreas externas é fundamental prever drenos e tampa de proteção contra chuvas, folhas e insetos, de forma que a peça fique limpa, seca e segura.

5- O biofluído é um potente combustível e eleva a temperatura em 10°, quando corretamente especificado para o m², e gera um calor no entorno das chamas de 280°. Por esse motivo o queimador deverá ser uma peça com tecnologia excelente para a segurança dos usuários. Nunca use outros combustíveis para a queima, pois eles trazem riscos de explosão ou inalação de gases tóxicos, prejudiciais à saúde.

6- Consulte sempre um profissional. O ideal é sempre enviar seu projeto para que ele seja avaliado individualmente por um especialista no assunto. Desta forma, você minimiza as chances de ter algum problema.

Fonte: Da Redação/Assessoria